Páginas

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Caindo do Armário

Hoje me deparei com esse texto,achei muito bacana a forma que esse cara escreveu,a angustia de se sentir diferente,querer ser feliz,e ao mesmo tempo tentar entender o que acontece com ele, a vida e todas as pessoas ao seu redor.Eu imagino que nessa sociedade podre cheia de preconceito não deve ser fácil enfrentar suas escolhas e sentimentos...O texto abaixo copiei exatamente como ele escreveu,sem mudar nenhuma palavra.Espero que todas as pessoas,que se sentem diferentes possam ter coragem pra enfrentar suas angustias ,sem medo de serem excluídas da sociedade...
 
Acho que o nome deveria ser saindo do armário ,mas ele colocou caindo mesmo!!
Descobri que sou guei.
Ainda não me acostumei com esse novo papel, pois chegou sem eu pedir, isso me veio de graça.
Ou melhor, eu não pedi pra ninguém me fazer gostar de meninos. Eu vim assim por que algo maior - e espero que melhor - decidiu assim, não eu.
Ainda me assusto quando me pego pensando em algum menino, ou assistindo tv só pra ver o Chad Michael Murray, ou então reparando em garotos na rua. Em suma: Não me reconheço como guei. 

Apesar disso, eu olho para as pessoas na boate em que frequento e me reconheço. Vejo que a minha história também se reflete em muitos deles, e sinto uma ligação tão íntima quanto gartuíta que me passa uma sensação de quase irmandade, todos nós já sofremos as mesmas penas.
Essa descoberta obriga-me a rever o personagem que fui até agora, acrescentando um novo papel que preciso aprender, mas não sei como nem tenho forças para tanto - no fundo sei que tenho.
Não quero falar nado do tipo "quem sou eu", pois ninguém poderá responder. Isso que descobri é um desenvolvimento de mim mesmo, uma parte amadurecida que vai surgindo a medida que me conheço melhor.
Afinal, a gente não faz outra coisa na vida senão aprender e se conhecer a cada passo que dá.
Se a gente não trata a vida como um aprendizado e uma luta, ela fica chata, repetitiva, angustiante e amargurada. Ou melhor, a vida continua cheia de vida, a gente é que fica chato, repetitivo, angustiado e amargurado se não passarmos a nos conhecer e aceitar o que somos. Não pense que é muito fácil ser assim, gostar de garotos exige um equilíbrio muito grande.
Você sabe que sua família vai te detestar, você já passou os últimos 11 anos de escola sendo apontado como uma aberração da natureza, você tem mais medo de ficar sozinho e frustrado quando velho, se você namorar nunca vai poder andar com a pessoa amada de mãos dadas pela rua, você vai descobrir que a maioria do povo guei só pensa em sexo e se decepcionará com todos e com você.
Não sei ao certo por quê falar tudo isso, apenas estou tentando mostrar mais de mim mesmo, e colocar em palavras 
essa angustiante faze da minha vida: quando se descobre o que você quer.
http://vagaviagem.blogspot.com/2004/12/caindo-do-armrio.html

5 comentários:

'Lara Mello disse...

Gostei :)

Dorei Fobofílica disse...

Bom dia, Bela!

Bem, não faço ideia de como deve ser a um homossexual conviver com isto em si, na família e na sociedade. Sei o que é conviver com outro tipo de preconceito, onde se é taxado como aberração também, mas sei que é diferente, pois afinal de contas, todos nós temos as nossas loucuras, os nossos genialismos...
Espero que ele encontre o caminho de ser feliz!

Beijo grande em ti, Aldrey!

Desejos e Fantasias de Casal disse...

Complicado mesmo... é sempre uma situação delicada...

Bela postagem...

bjs


http://desejosefantasiasdecasal.blogspot.com/

ps --> adicionamos vcs nos blogs que seguimos...

Lou Albergaria disse...

Aldrey,

é sempre muito difícil mesmo remar contra a maré, ainda mais quando a própria pessoa já carrega seus preconceitos. Quando ele diz: "...você vai descobrir que a maioria do povo guei só pensa em sexo e se decepcionará com todos e com você."
Ora, como assimmmmmm?!!!!!!!!
Então, pensar e querer sexo com intensidade é algo decepcionante?! Não entendi.
Imagino que ser gay numa sociedade como a nossa não deve ser nada fácil, mas se a pessoa souber quem ela é de verdade e quais são seus reais anseios ela se safa bem.
Sempre digo: os piores limites são aqueles criados por nós mesmos. Quem quer ser feliz, será. E o resto do mundo que se dane! Isso é o que penso e defendo.

Tenha um lindo fim de semana!

Beijão!

Afrodite disse...

Uma declaração isenta de quem quer ser/é gay com uma pitada de realidade nua e crua do que vai se tornar.
Achei muito bacana a visão dele,de uma sinceridade causticante sobre sua vontade de ser feliz e ter dúvidas em conseguir.
Beijo!