Páginas

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Strippers Virtuais

                            

Elas ganham a vida tirando a roupa para a webcam – e estão sempre ali, obedientes, ao alcance do mouse.A stripper virtual oferece aos clientes um vasto repertório de caras, bocas e gemidos – tudo, claro, depois de comprovar que o dinheiro entrou em sua conta!!

A profissão surgiu na vida de Ana há seis anos. Estudante de psicologia, ela se divertia em chats provocando seus paqueras e amigos de amigos. “Ficar pelada para os outros era farra de moleca”, diz a paulistana, que, até então, não cobrava pelos shows. “Hoje, sou uma empresa: preciso inovar nos pacotes e divulgá-los”. Por R$ 15, o voyeur assiste a um strip de 20 minutos com direito a “masturbação ­light”. Pelo dobro do valor, Ana mostra o rosto e chega às vias de fato com um vibrador. Se o áudio estiver ligado, meia hora de exibicionismo – turbinado com sussurros e gemidos – custa R$ 80. O menu inclui ainda uma apresentação em dupla com uma amiga “liberal” e preço sob consulta.
Cerca de 25% dos internautas frequentam páginas eróticas, segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana. Desde que surgiu a troca de textos e imagens em tempo real, os camshows se multiplicaram no mundo inteiro. Sites americanos e europeus foram pioneiros em montar estúdios profissionais nos quais mulheres se expunham para aumentar a renda. Nos Estados Unidos, a proibição da prostituição sempre foi mais rígida que no Brasil, de modo que fazer sexo (virtual) com uma desconhecida, no conforto de casa e sob a proteção da tela, virou a alternativa perfeita para realizar fantasias sem o risco de ser flagrado pela polícia ou pela mulher.
Os clientes costumam ser casados, de classe média alta, e ter entre 25 e 45 anos. “Eles querem a atenção de uma mulher gostosa que realize seus pedidos, levante seu ego e até converse sobre problemas conjugais”, diz Alex*, fundador do site AsBelas. Nele, 64 garotas de diversas regiões do país se exibem de suas casas e se alternam em turnos para que haja sempre ­strippers à disposição. O movimento cresce na hora do almoço (quando pinta um tempinho ocioso) e tarde da noite (quando a família do cliente já está dormindo). Pelo “suporte técnico”, o agenciador diz recolher 20% do faturamento de cada garota.
É ...Agora muita gente está ganhando,sem precisar ficar em contato,só se rebolando fazendo caras e bocas,se masturbando,e nem aí pra quem está do outro lado, seja ele gordo(a),feio magro(a) ou bonito(a),uma procura muito grande por essa profissão!!

7 comentários:

Escarlatte disse...

Uma loucura tudo isso aqui. Muito bacana sua materia.

Afrodite disse...

Fiquei bege com essa descoberta...
que babado,menina!
Beijo!

'Lara Mello disse...

Olha pode ser bem legal, mas não curto, porque sou mais de pele, sabe? De carne! Rs

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Sempre post's bem interessantes.

Beijo!


PS - Curioso ou não, temos o mesmo nº de seguidores (522), rs

MARIDO MANSINHO DA LOIRINHA disse...

...OBG POR TODO O CARINHO LÁ EM CS SRTA. ALDREY, SEMPRE ESTAMOS JUNTO C/ NOSSA LOIRINHA POR AQUI... E ESTE POST NOS DEU UMA IDÉIA HUMMM... VOU PEDIR P/ NOSSA LOIRINHA FAZER UM BELO STRIP P/ NÓS HJ... BJS DOS 3...

Swingers Veronika e Cláudio disse...

Lesadinha querida, tem selinho pra vc lá em casa, de 100.000 acessos!
Beijo enorme!!!

mencanta disse...

lindo trasero
rsrsrs kkkk